Descrição dos Objectivos Visados pelo Ciclo de Estudos

Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão para intervir nas diferentes áreas de enfermagem
Saber aplicar os conhecimentos e capacidade de compreensão adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional
Capacidade de resolução de problemas no âmbito das respostas humanas aos problemas de saúde e processos de transição de pessoas, grupos e comunidades, e de construção e fundamentação da sua própria argumentação
Capacidade de, junto de pessoas, grupos e comunidades, recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, que os habilite a fundamentarem as soluções que preconizam e os juízos clínicos que emitem, incluindo na análise os aspetos sociais, científicos e éticos relevantes
Competências que lhes permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como por não especialistas
Competências de aprendizagem ao longo da vida com elevado grau de autonomia

São objetivos específicos do Curso de Licenciatura em Enfermagem, que o formando, no final, seja capaz de:

  • Planear, executar e avaliar cuidados de enfermagem gerais à pessoa saudável ou doente, ao longo do ciclo vital, à família, grupos e comunidade aos três níveis de prevenção;
  • Participar como elemento ativo da equipa multidisciplinar de saúde no planeamento/avaliação de atividades que contribuam para o bem-estar da pessoa, família e comunidade, de forma a prever, minorar ou resolver os seus problemas de saúde;
  • Desenvolver a prática de investigação em enfermagem, em particular, e da saúde em geral;
  • Intervir ativamente na formação de enfermeiros e outros profissionais;
  • Participar na gestão de serviços de saúde.

Enquadramento Concetual

A Enfermagem nos últimos trinta anos sofreu uma evolução significativa ao nível do conhecimento científico e da formação, ao nível tecnológico e ao nível da filosofia dos cuidados resultante de mudanças socioculturais, políticas, económicas, demográficas e epidemiológicas das sociedades modernas.

Os desafios que se colocam hoje aos enfermeiros, em Portugal como noutros países do mundo ocidental, têm sobretudo a ver com a complexidade das situações de saúde e doença que exigem uma abordagem interdisciplinar, que extravasa a área da saúde e que obriga a um verdadeiro trabalho de equipa e à utilização da criatividade para contornar obstáculos internos e externos à organização onde desenvolvem a sua atividade.

De entre os desafios que o presente e o futuro colocam à profissão de enfermagem e às profissões da saúde em geral, destacam-se:

  • O desafio do paradigma do CUIDAR, numa perspetiva de saúde, enquanto necessidade da Humanidade, comum ao conjunto das diferentes profissões da saúde e, como tal, exigindo um verdadeiro trabalho em equipa pluridisciplinar;
  • Novos problemas de saúde, relacionados com os estilos de vida, o envelhecimento, as doenças crónicas, a SIDA/HIV, a toxicodependência, a pobreza e a exclusão social, entre outros;
  • Mudança no cenário dos cuidados que se caracteriza pela transferência de cuidados hospitalares para os serviços da comunidade e reorganização dos cuidados de saúde primários. Esta orientação para a prática na comunidade desafia os enfermeiros a um desempenho cada vez mais autónomo, polivalente e flexível, inserido em equipas multidisciplinares em que o utente/cidadão participa na tomada de decisão em saúde;
  • O aumento da complexidade das situações profissionais a gerir e a evolução da organização do trabalho exigindo abordagens multidisciplinares e interdisciplinares o que implica a emergência da "competência coletiva" resultante da qualidade da cooperação entre as competências individuais;
  • O desafio relacionado com os direitos e deveres do cidadão, a diversidade, a diferenciação e o multiculturalismo;
  • O desafio da qualidade da formação e dos cuidados, simultaneamente um problema ético e moral e um problema de credibilidade e dignidade profissional;
  • A necessidade de uma educação para a cidadania, o desenvolvimento moral, a participação na vida da comunidade, a construção duma identidade transnacional;
  • A "sociedade de informação" e a necessidade de novas estratégias para um novo posicionamento da escola e da profissão face à sociedade em que vivemos, em que "aprender ao longo de toda a vida" é o lema dominante.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), uma das principais organizações internacionais de referência no domínio da Enfermagem identifica a missão, as premissas e as vertentes da intervenção autónoma:

"a missão primordial do enfermeiro na sociedade é de ajudar os indivíduos, famílias e grupos a determinarem e alcançarem o seu potencial no campo físico, mental e social, fazendo-o no contexto do meio no qual vivem e trabalham. Isto exige que os enfermeiros aprendam e assegurem funções relacionadas com a promoção e manutenção da saúde, a prevenção da doença, o planeamento e a prestação de cuidados curativos e de readaptação. Os cuidados de enfermagem englobam aspetos físicos, mentais e sociais da vida na medida em que eles afetam a saúde, a doença, a deficiência e a morte.

Os enfermeiros permitem a participação ativa do indivíduo, da sua família e amigos, do grupo social e da comunidade, de forma adequada em todos os aspetos dos cuidados de saúde, e encorajam assim a independência e a autodeterminação. Os enfermeiros trabalham também como parceiros dos membros das outras profissões implicadas na prestação dos serviços de saúde".

A configuração definidora de Enfermagem, de acordo com o International Council of Nurses afirma o cuidado autónomo e colaborativo, incluindo a promoção de saúde, a prevenção da doença, a prestação de cuidados em situação de doença e incapacidade, e no processo de morrer.

No Code of Ethics for Nurses afirma-se, de forma preambular, que a necessidade de enfermagem é universal e que os enfermeiros têm quatro responsabilidades fundamentais: promover a saúde, prevenir a doença, restaurar a saúde e aliviar o sofrimento. Conforme o Regulamento do Exercício Profissional dos Enfermeiros (Decreto-Lei nº 161/96, de 4 de setembro), as intervenções fundamentais são a "promoção da saúde, a prevenção da doença, o tratamento, a reabilitação e a reinserção social" (art.º 8º) e o exercício da atividade de enfermagem, além da prática clínica, considera as áreas de gestão, investigação, docência, formação e assessoria (art.º 9º).

As competências do enfermeiro de cuidados gerais estão definidas pela Ordem dos Enfermeiros (OE, 2003), de acordo com as competências que integram o ICN Framework of Competencies for the Generalist Nurses, do Conselho Internacional de Enfermeiros (ICN).

Competências Gerais

Competências Instrumentais:

  • Analisa, interpreta e sintetiza textos e documentos;
  • Analisa situações identificando as relações entre os diferentes elementos que interferem no problema;
  • Planeia e organiza a prestação de cuidados em diferentes contextos face às necessidades do cliente e aos condicionalismos existentes;
  • Seleciona e organiza informação atualizada necessária à prestação de cuidados;
  • Organiza situações educativas em saúde;
  • Comunica oralmente e através da escrita de forma a ser compreendido pelos outros Gere e interpreta informação proveniente de diferentes fontes;
  • Sabe tomar decisões face a situações complexas em diferentes contextos;
  • Sabe resolver problemas complexos no âmbito do cuidar em enfermagem;
  • Mobiliza e utiliza recursos tecnológicos e informáticos adequados;
  • Domina uma segunda língua;
  • Assume responsabilidades no respeito pelos compromissos éticos e legais;
  • Analisa criticamente a sua prática.

Competências Interpessoais

  • Reconhece os seus limites e solicita ajuda quando necessário;
  • Trabalha em equipa intra ou interdisciplinar favorecendo um clima de cooperação;
  • Relaciona-se com os clientes e famílias tendo em vista o estabelecimento de uma relação terapêutica;Reconhece a diversidade cultural e intervém no respeito pelas diferentes culturas;
  • Mobiliza o conhecimento sobre outras culturas e costumes de outros países na sua relação com os outros;
  • Produz um discurso pessoal fundamentado tendo em consideração diferentes perspetivas, sobre os problemas de saúde com que se depara;
  • Sabe comunicar mobilizando os recursos de saúde dos clientes, no respeito pelas suas crenças;
  • Assume os compromissos éticos e legais da profissão responsabilizando-se pelas suas práticas profissionais.

Competências Sistêmicas:

  • Sabe mobilizar em situação os conhecimentos profissionais necessários à resolução dos problemas;
  • Sabe gerir a sua aprendizagem em ambiente académico e profissional;
  • Sabe procurar, face às adversidades, novas soluções para os problemas e tomar a iniciativa da sua resolução;
  • Investe na qualidade dos cuidados em função do sentido que esta tem para o outro;
  • Avalia em conjunto com a equipa a qualidade dos cuidados prestados;
  • Participa na realização de projetos no âmbito da saúde;
  • Gere e supervisa cuidados de saúde;
  • Gere a imprevisibilidade em situações menos complexas.

Candidaturas

Prazos para o ano letivo 2019/2020

1ª Fase:

  • Candidaturas: 4 de fevereiro a 8 de março de 2019
  • Validação e seriação das candidaturas: 11 de março a 15 de março de 2019
  • Divulgação dos resultados: 18 de março de 2019
  • Matrícula e inscrição: 20 de março a 20 de abril de 2019

2ª Fase (para as vagas sobrantes da 1ª fase):

  • Candidaturas: 13 de março a 30 de abril de 2019
  • Validação e seriação das candidaturas: 1 de maio a 8 de maio de 2019
  • Divulgação dos resultados: 9 de maio de 2019
  • Matrícula e inscrição: 13 de maio a 14 de junho de 2019

3ª Fase (para as vagas sobrantes da 2ª fase):

  • Candidaturas: 6 de maio a 28 de junho de 2019
  • Validação e seriação das candidaturas: 1 de julho a 5 de julho de 2019
  • Divulgação dos resultados: 8 de julho de 2019
  • Matrícula e inscrição: 10 de julho a 10 de agosto de 2019

O valor da taxa académica da Licenciatura, inclui alojamento na Residência de estudantes todo o ano, excepto o mês de Agosto que são férias escolares.

Programa ministrado em:
  • Português

Veja 5 mais cursos em Escola Superior de Enfermagem de Coimbra »

Última actualização Março 5, 2019
Este curso é No campus
Start Date
Set. 2019
Duration
4 anos
Tempo integral
Price
5,500 EUR
Deadline
Por locais
Por data
Start Date
Set. 2019
End Date
Prazo de inscrição
Start Date
Set. 2019
End Date
Prazo de inscrição
Start Date
Set. 2019
End Date
Prazo de inscrição

Set. 2019

Location
Prazo de inscrição
End Date
Prazo de inscrição
End Date
Prazo de inscrição
End Date

ESEnfC - Centro de Simulação

Laboratório de Cuidados Intensivos

Cerimónia de Encerramento do Curso de Licenciatura em Enfermagem - 2017